Plan International Brasil 11 4420.8084

Eventos em Codó e São Paulo celebram conquistas e encerram o mês das meninas

Reading Time: 5 minutes

Eventos em Codó e São Paulo celebram novas conquistas e encerram o mês das meninas

Protagonismo e empoderamento das jovens do projeto Escola de Liderança para Meninas marcaram os debates do seminário Meninas pela Igualdade nas duas cidades.

 

As jovens do projeto Escola de Liderança para Meninas de Codó, no Maranhão, e de São Paulo, capital, encerraram o mês das meninas celebrando novas conquistas e reforçando a importância da luta pelos seus direitos no seminário Meninas pela Igualdade, realizado nas duas cidades em 31 de outubro. Confira os destaques dos eventos!

Empoderamento das meninas nas vozes de Cleane, 15 anos, e Lauana, 16, em Codó – MA.

Duas meninas adolescentes estão em um palco, com fundo vermelho. Elas vestem uma camiseta azul com a frase "Meninas pela Igualdade", da campanha da Plan International Brasil. A menina da esquerda segura um microfone.
Cleane, 15 anos, e Lauana, 16, no seminário Meninas pela Igualdade, em Codó, no Maranhão.

“A gente não quer que a nossa voz seja ouvida apenas hoje, apenas nesse evento, mas também que nós sejamos ouvidas lá fora, em qualquer lugar do mundo”. Essa foi a mensagem de Cleane, 15 anos, para todas e todos que marcaram presença no seminário Meninas pela Igualdade em Codó, no Maranhão.

O evento reuniu representantes do poder público, entidades da sociedade civil, gestores de escolas municipais e conselhos tutelares, e teve como objetivo chamar a atenção sobre a importância de garantir espaços para a participação das meninas nos processos de elaboração e monitoramento das políticas públicas. A iniciativa também foi uma forma de apresentar as ações do nosso movimento #MeninasOcupam, realizado durante o mês das meninas nas cidades de Codó, Timbiras, Peritoró e Caxias.

Para Lauana, 16 anos, a união de todas e todos em prol da causa das meninas é fundamental para que elas possam decidir, progredir e liderar: “A mudança que vocês proporcionam na vida das meninas vai transformar o mundo”.

A hora e a vez das meninas: a potência da liderança feminina nas falas de Daniele, 19, Raiane, 15, Milena, 18, e Camila, 18.

Três adolescentes meninas posam para foto junto a educadora do projeto Escola de Liderança para Meninas. As meninas vestem uma camiseta azul com a frase "Meninas pela Igualdade", da campanha da Plan International Brasil.
Milena, 18, Camila, 18, e Raiane, 15, integraram o painel “A voz e a vez das meninas”, mediado pela educadora Dayane Fernandes no seminário Meninas pela Igualdade, em São Paulo.

Na capital paulista, o seminário ocorreu na Assembleia Legislativa e reuniu representantes do poder público, de organizações não governamentais, além das meninas e educadoras do projeto Escola de Liderança para Meninas. A abertura do evento contou com a participação da deputada estadual Marina Helou, a secretária de direitos humanos de São Paulo Berenice Gianella, a vereadora Soninha Francine, a promotora de justiça da infância e da juventude da cidade Mirella Monteiro e a porta-voz do Instituto Gelédes, Maria Sylvia de Oliveira.

Nossa diretora executiva, Cynthia Betti, abriu as discussões da manhã reforçando o propósito da Plan International Brasil: “Muito se fala hoje em dia sobre ideologia de gênero. Essa ideologia não existe, mas a desigualdade de gênero sim e é contra isso que nós lutamos. Trabalhamos para que meninas tenham oportunidades mais justas e igualitárias”.

Dentre os assuntos abordados nos painéis do evento, destacam-se a questão do contexto atual de violações de direitos em que vivem as crianças e as meninas, bem como a real necessidade de fomentar novos espaços de participação política e cidadã que contemplem as meninas no presente, em toda a sua diversidade. “A gente vive em uma sociedade profundamente adultocêntrica. A gente continua falando que as meninas serão – falando no futuro -, com muita dificuldade de reconhecer que as meninas são agora! […]. Elas têm direito a acessar informações, a atuar naquilo que afeta suas vidas, elas têm direito de participar, de dizer sua opinião e, principalmente, de serem respeitadas. E as meninas devem ser vistas em toda a sua diversidade. Isso faz uma diferença crucial.”, diz Viviana Santiago, nossa gerente de gênero e incidência política.

A jovem Daniele, 19 anos, foi mediadora em um dos painéis do evento e também repercutiu sobre o assunto. Ao compartilhar um pouco da sua trajetória no projeto Escola de Liderança para Meninas, ela falou sobre o processo de (re)conhecimento dos seus direitos e também lançou luz sobre a importância de abrir novos espaços de participação, sobretudo para as meninas que habitam as regiões periféricas da cidade. “Na Escola de Liderança para Meninas eu aprendi sobre os meus direitos e hoje eu busco orientar outras meninas sobre isso. Acho importante eu estar aqui hoje porque a gente percebe que não estamos sozinhas [na luta pela igualdade]”, complementa Daniele.

Menina adolescente negra discursa entre mulheres na Assembleia Legislativa de São Paulo
Daniele, 19 anos, mediou a mesa de abertura do seminário e falou sobre a importância de abrir novos espaços de participação para as meninas (Foto: Iury Carvalho / Reprodução: ALESP).

O evento ainda contou com um painel de debate formado pelas jovens do projeto. Raiane, 15 anos, Milena e Camila, 18, trouxeram suas experiências e as transformações vividas ao longo das formações na ELM, e discutiram sobre o legado que querem construir na luta pela igualdade das meninas.

“Desde a primeira oficina, eu notei a diferença do que eu sou agora. Esse ano eu me tornei Diretora de Marketing e uma menina mais empoderada”, disse Camila, em referência a sua participação no #MeninasOcupam de 2019, onde ocupou a liderança de marketing de uma empresa por algumas horas.

“A gente está representando não só a gente, mas todas as meninas do projeto e mostrando como é importante se apropriar desses lugares de poder”, reforçou Milena.

Adolescente negra discursa em uma plenário. AO lado dela, estão uma mulher e mais duas adolescentes.
Camila, 18 anos, fala sobre a sua experiência na liderança de marketing de uma empresa durante o #MeninasOcupam de 2019 (Foto: Iury Carvalho / Reprodução: Alesp).

O encerramento do seminário foi marcado por um momento muito especial: a formatura das meninas no projeto Escola de Liderança para Meninas. Educadoras e representantes da Fundação Mapfre, empresa apoiadora do projeto, realizaram a entrega dos certificados para 40 adolescentes e jovens participantes das turmas dos bairros de Paraisópolis, Grajaú e Capão Redondo.

“Hoje vocês têm uma missão grande: a de compartilhar esse conhecimento que adquiriram na Escola de Liderança para Meninas com outras meninas que não tiveram a oportunidade de estar ocupando esse lugar que vocês estão hoje. Brilhem e sejam o que vocês quiserem”, finalizou Leni Franco, representante da Fundação Mapfre.

Meninas adolescentes posam para foto com educadores e apoiadores do projeto Escola de Liderança para Meninas, da Plan International Brasil. Elas seguram o certificado de formatura que receberam no evento.
Durante o seminário, 40 meninas receberam o certificado de formatura do projeto Escola de Liderança para Meninas, em São Paulo.
Compartilhar com o universo
X