Plan International Brasil 11 4420.8084
Tempo de leitura: 4 minutos

Como Atuamos

A Plan International Brasil desenvolve programas e projetos com o objetivo de capacitar e empoderar crianças, adolescentes e suas comunidades, para que adquiram competências e habilidades que os ajudem a transformar suas realidades.

Queremos crianças e jovens protagonistas de suas próprias histórias e comunidades conduzindo seus próprios desenvolvimentos. Para que isso que aconteça, trabalhamos dentro de 4 eixos:

Progredir

Objetivo Estratégico: Crianças e adolescentes, especialmente meninas e suas comunidades, atuam para prevenir a violência baseada em gênero.

Projeto Down to Zero

O Down to Zero tem como objetivo reduzir o número de crianças vítimas ou em situação de risco de exploração sexual comercial em comunidades da Bahia até 2020, além de fortalecer e monitorar as políticas públicas nos níveis local, estadual e nacional, bem como as práticas de responsabilidade social do setor turístico.

O projeto é uma iniciativa de abrangência nacional, porém com foco na região do Nordeste, mais especificamente em cinco municípios do estado da Bahia: Salvador, Camaçari, Ilha de Itaparica, Imbassaí e Praia do Forte. Desde 2011, o estado da Bahia tem o maior número de notificações de casos de exploração sexual de crianças e adolescentes, o que explica nossos esforços nessa região.

O projeto é uma ação coordenada entre a ECPAT – Brasil, CEDECA Bahia e Plan International Brasil, que atua em quatro eixos: empoderamento de crianças, comunidades seguras e protetoras, ambiente favorável de diálogo com governo e engajamento do setor privado.

Projeto Cambalhotas

O projeto Cambalhotas tem como principal objetivo o estímulo à autoproteção em crianças entre 7 e 10 anos de idade. Por meio de brincadeiras e oficinas, as crianças aprendem sobre os tipos de abuso e violência que podem ser cometidas e quem pode ajudá-las caso presenciem ou sofram com este tipo de situação. O projeto também propõe às famílias envolvidas ações que fortaleçam as habilidades e capacidades nas práticas educativas dos adultos em relação às crianças.

Até 2018, o projeto tem sido implementado diretamente, nas comunidades com crianças patrocinadas e com recursos de patrocínio. Na nova estratégia o projeto será redesenhado de forma a ser implementado também pelas organizações da comunidade, com suporte da PIB.

Liderar

Objetivo Estratégico: Meninas têm voz mais forte e atuam como agentes de mudança para a promoção e defesa dos seus direitos.

Escola de Liderança para Meninas

O principal objetivo do projeto da Escola de Liderança para Meninas é oferecer repertórios e insumos para que as meninas consigam aprender o que significa ser menina e, principalmente, que elas reconheçam seu potencial, pois apenas por meio do reconhecimento do seu papel enquanto sujeitas das suas histórias e da história do mundo é que elas poderão tomar ciência das suas possibilidades de atuação. Assim, por meio do conhecimento das histórias das mulheres, dos movimentos das mulheres e sobre a história de vida de outras meninas, são propostas atividades que pretendem demonstrar que as meninas do projeto também podem transformar suas realidades e provocar mudanças nesse mundo.

O currículo da Escola de Liderança para Meninas é composto por temáticas que possibilitam as meninas aprender sobre direitos, sobre os espaços de controle social, sobre o que que acontece em cada um desses espaços, permitindo que possam se reconhecer e atuar nos mesmos. O projeto também tem foco no processo de incidência dentro dos ambientes de garantidores de direito de cada localidade das meninas participantes da Escola.

Em 2018 o projeto foi implementado nas 3 unidades de Programa da PIB com recursos de grants. No novo ciclo, o Escola de Liderança será fortalecido e ampliado, visando atingir mais meninas, potencializar as interações e favorecer as ações de incidência, seja presencialmente, seja virtualmente. A proposta é que ele se torne um projeto institucional da PIB, podendo também contar com recursos vindos de patrocínio.

Projetos com base na metodologia Champions of Change (CoC)

Hoje dois projetos estão sendo implementados com a metodologia CoC: Líderes da Mudança (São Luís e Teresina) e La League (Codó). A metodologia está desenhada para promover mudanças duradouras em Conhecimentos, Atitudes e Práticas em 3 níveis: Individual, Familiar/Comunitário, institucional visando o empoderamento das meninas e as escolhas conscientes por parte delas. Trata-se de uma metodologia robusta de formação combinada com atividades de esporte, cultura e lazer. O período mínimo de implementação da metodologia é de cerca de 1 ano.

É um modelo de intervenção global para promover a igualdade de gênero e os direitos. Este modelo é composto por quatro componentes interrelacionados:

1. Empoderamento de Meninas;

2. Trabalho com meninos.

3. Mobilização entre pares;

4. Diálogos Intergeracionais.

Eixo Liderar
Eixo Decidir

Decidir

Objetivo Estratégico: Meninas e jovens mulheres que se organizam e têm controle sobre suas vidas e seus corpos e tomam decisões informadas sobre suas identidades, suas relações, se desejam engravidar e quando.

Programa Adolescente Saudável

Trata-se de uma iniciativa da AstraZeneca que acontece em 21 países do mundo. O projeto tem como objetivo contribuir para a saúde e bem-estar dos jovens em comunidades vulneráveis por meio de pesquisas, incidência política e ações formativas que se concentram na prevenção comportamentos de risco que levam de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). Conteúdos de gênero, identidade e direitos sexuais e direitos reprodutivos também são trabalhados. O projeto está estruturado para favorecer aprendizagens criativas e participativas. Para isso, durante três anos a agenda do projeto conta com formação, campanhas de comunicação, dias alusivos a temas importantes para saúde, sensibilização de escolas e encontros de advocacy (ações para formular políticas públicas em prol da comunidade). O projeto também capacita adolescentes e jovens em liderança para que investiguem e identifiquem, em colaboração com o governo local, os problemas de saúde presentes em suas próprias comunidades.

A PIB implementou o programa no estado do Maranhão pelo período de 5 anos. Hoje sua implementação ocorre na cidade São Paulo.

Projeto Adolescente Multiplicando Saúde

Tem o objetivo de capacitar adolescentes, especialmente meninas, para serem multiplicadoras em temas de saúde sexual e reprodutiva, direitos reprodutivos, gravidez na adolescência, infecções sexualmente transmissíveis e outras vulnerabilidades sociais relacionadas à falta de serviços e programas acessíveis e acolhedores. O projeto contempla meninas e meninos e suas famílias das comunidades rurais de São Luís, São José de Ribamar e Paço do Lumiar, e atualmente encontra-se em 18 comunidades.