Plan International Brasil 11 4420.8084

Em formato híbrido, Meninas Ocupam 2021 realizou 69 ocupações. Confira o vídeo!

Tempo de leitura: 3 minutos

Cerca de 60 meninas abriram espaços em cargos de destaque em instituições públicas e privadas em São Paulo, no Maranhão, no Piauí e na Bahia. Elas também fizeram ocupações em redes sociais.

Bia, ocupando o governo do Maranhão

Em 2021, o movimento Meninas Ocupam, que celebra o Dia Internacional da Menina, em 11 de outubro, voltou a ganhar atividades presenciais. Depois de mais de um ano de atividades remotas, agora foi possível retomar com segurança as ocupações em espaços de poder público e privado, combinando as ações com ocupações on-line em redes sociais. Cerca de 60 meninas do Maranhão, de São Paulo, do Piauí e da Bahia participaram de 69 ocupações.

Neste ano, a campanha global da Plan International destacou o efeito devastador das fake news na vida das meninas, com o lançamento da pesquisa global Verdades e Mentiras – As meninas na era da desinformação e das fake news, que teve a participação de 26 mil meninas e jovens mulheres de 26 países, sendo 1 mil brasileiras. O estudo se concentrou em entender o impacto da desinformação e das fake news associado a um olhar de gênero e mostrou que 87% das meninas disseram que as fake news afetaram negativamente suas vidas. No Brasil, os números apontaram que 72% das participantes receberam alguma fake news sobre a pandemia, 32% acreditaram em uma fake news sobre a COVID-19 e 22% questionaram a necessidade de tomar a vacina.

Com isso em mente, durante seus discursos nas ocupações as meninas reforçaram a importância do combate à desinformação e às mentiras na divulgação de notícias. No Maranhão, a jovem Beatriz, que completou 16 anos no Dia da Menina, ocupou o cargo de governadora do Estado, no lugar do governador Flavio Dino. Bia teve uma série de atividades em uma agenda bastante extensa, representando o governador em visitas e eventos durante três dias. Em uma delas, no Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO), em São Luís, ela reforçou o impacto das fake news na saúde.

Ainda em São Luís, as meninas estiveram em ocupações no Ministério Público, na Assembleia Legislativa, na Defensoria Pública, em secretarias de estado, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, entre outros. Nas cidades de Codó, Peritoró e Timbiras, as meninas ocuparam cargos na Promotoria de Justiça, na Polícia Militar e na Defensoria da Mulher. E on-line, meninas maranhenses participaram de ocupações em perfis de redes sociais, como no da embaixadora da Plan Astrid Fontenelle, e em uma live com o Banco Mercedes-Benz.

Em São Paulo, as meninas também estiveram em espaços de destaque. Camila, de 20 anos, foi a primeira mulher a ocupar a Procuradoria-geral de Justiça, o cargo máximo do Ministério Público, no lugar de Mario Sarrubbo. Ela participou de várias atividades durante uma tarde com o procurador. Julia, de 18 anos, foi repórter por um dia na TV Cultura e apresentou uma reportagem sobre atividade física. Esteve acompanhada de outra embaixadora da Plan, a também jornalista Joyce Ribeiro.

Cerca de 15 meninas participaram de uma simulação de uma plenária na Assembleia Legislativa com a deputada estadual Marina Helou. Deputadas por um dia, as meninas tiveram a oportunidade de entender melhor o papel do Legislativo na formulação de leis e sobre o seu trâmite para aprovação. Está na Alesp um projeto de lei para tornar o 11 de outubro o Dia Estadual da Menina no estado.

As meninas ainda visitaram o Instituto Butantan, onde aprenderam sobre fabricação de vacinas, conversaram com as principais executivas da organização e visitaram o museu, onde puderam ver animais como cobras e sapos. A partir de São Paulo também aconteceram lives e ocupações on-line, como as realizadas com a AstraZeneca, quando Danielle, de 20 anos, conversou com o presidente da empresa no Brasil e também realizou uma live com Barbara Furtado, líder médica de vacina da AstraZeneca Brasil. Também aconteceram atividades on-line com o Museu da Imigração, com a Organização Internacional para as Migrações, e com a Embaixada da Suécia no Brasil.

Já no Piauí, as meninas também tiveram a oportunidade de estar em espaços de destaque em Teresina. Em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), mas meninas estiveram em uma série de secretarias municipais, como Juventude, Educação, Desenvolvimento Econômico, Saúde, Comunicação. Também houve ocupação na Fundação Municipal de Saúde, na Assembleia Legislativa e na Ordem dos Advogados do Brasil.

Para fechar, na Bahia as meninas ocuparam a Coordenação Estadual de Políticas para Juventude, a Ouvidoria da Defensoria Pública do Estado da Bahia e a Câmara de Vereadores de Salvador, entre outros. Em todas as cidades, as atividades aconteceram durante todo o mês de outubro.

Compartilhar com o universo
X