Plan International Brasil 11 4420.8084

Madrinhas e padrinhos pela Plan se conectam com afilhados por vários meios

Além de cartas e mensagens on-line, madrinhas e padrinhos podem enviar presentes educativos comprados pela internet

Quem apadrinha uma criança pela Plan International Brasil tem a oportunidade de se conectar com sua afilhada ou seu afilhado para compartilhar suas experiências e observar como sua contribuição tem impactado a vida daquela criança. A possibilidade de criar vínculos com a criança apadrinhada é tão importante quanto a doação financeira mensal que auxilia no desenvolvimento de projetos na comunidade.

“A cartinha da Bruna me deixou muito feliz. Ela me disse que também tem um cachorrinho que se chama Bob, assim como eu”, diz a contadora Glória Pires. Para ela, a troca de correspondências com sua afilhada Bruna fez com que surgisse um vínculo importante entre as duas. “Quando pude visitar as comunidades e conhecer de perto a realidade das crianças, ficou ainda mais forte o nosso vínculo e meu maior desejo é que a cada dia as crianças sejam amadrinhadas e apadrinhadas, pois somos nós que ganhamos a oportunidade de fazer a diferença na vida de cada uma e cada um!”

Tiago Galvão de Andrade, professor de história e geografia, conheceu o trabalho da Plan pelas redes sociais e se tornou um padrinho. “Quando fiquei sabendo da possibilidade de apadrinhar uma criança pela ONG não hesitei em participar, e a experiência está sendo incrível! Foi muito emocionante conhecer um pouco da história e da personalidade do Luís por meio da cartinha que recebi. Poder estabelecer uma relação como essa é de fato transformador!”, afirma.

A Plan oferece diversas formas de comunicação entre madrinhas e padrinhos e as crianças apadrinhadas. Para garantir a segurança das crianças beneficiadas, todo contato é feito exclusivamente por meio da Plan International Brasil. Veja quais são as possibilidades:

 

Cartas físicas e on-line

Uma das formas de se comunicar com as crianças apadrinhadas é por meio de cartas enviadas pelo correio. Nesse caso, os padrinhos devem enviar a correspondência para a Plan International Brasil (Caixa Postal 79504, CEP 04707-970 – São Paulo, SP), que se encarregará de repassá-la à criança. É importante colocar, ao final da carta, o código de doador e o código da criança, que aparecem impressos na carteirinha de apadrinhamento.

Também é possível enviar mensagens on-line às crianças apadrinhadas. Para isso, basta preencher um formulário no site da Plan, informando seu código de doador, o código da criança e o texto a ser encaminhado para o afilhado ou a afilhada.

 

Envio de presentes

Madrinhas e padrinhos também podem enviar presentes para as crianças apadrinhadas. Na hora de escolher esses presentes, a Plan recomenda pensar em itens educativos e que a criança possa utilizar em grupo, já que nem todas as crianças recebem presentes. São boas opções cadernos, kits escolares, estojos, adesivos, jogos educativos, livros e mochilas.

Esses presentes também devem ser enviados para a caixa postal da Plan International Brasil (Caixa Postal 79504, CEP 04707-970 – São Paulo, SP). Junto com a encomenda, envie o código do doador e o código da criança.

Para não precisar ir ao correio, outra possibilidade é comprar o presente on-line e pedir para entregá-lo diretamente para a mesma caixa postal da Plan International Brasil. Neste caso, você pode preencher o nome da Plan no destinatário, informando que é um presente. Indique seu código de doador(a) e o código da criança na mensagem do cartão de presente. Assim a Plan consegue encaminhar para a criança apadrinhada!

 

Benefícios

A conexão com madrinhas e padrinhos tem um impacto real na vida das crianças apadrinhadas. Recentemente, a Plan International encomendou uma pesquisa para o Instituto Real de Tecnologia de Melbourne, na Austrália, para medir esse impacto. Segundo o estudo “Changing Lives”, meninas que receberam cartas de seus padrinhos ou madrinhas relataram um melhor estado de saúde do que as que não receberam. Entre os meninos, aqueles que receberam cartas reportaram um bem-estar emocional maior do que os que não receberam.

O contato também traz benefícios para os padrinhos e madrinhas, que afirmam se sentirem mais próximos de seus afilhados por meio das cartas. “Ler a carta do Kaio foi como viajar até o Piauí”, afirma a socióloga Andreia Schroeder. “Fiquei imaginando como seria brincar com ele e seus irmãos. Lembrei dos momentos que assistia [ao desenho animado] Miraculous – As Aventuras de Ladybug com meu filho. Foi emocionante. Já estou ansiosa esperando a próxima carta.” E se você quiser, pode também se tornar madrinha ou padrinho de mais uma criança – ou ainda indicar o apadrinhamento para amigos e familiares.