Pular para o conteúdo principal

A hora e vez de Alice

Como o acesso à informação mudou a vida de uma menina de Timbiras.

Foi numa casa de barro com chão de terra, na pequena cidade de Timbiras (Maranhão), que Alice passou a infância. Cresceu brincando com carrinhos e bonecas que ela, a irmã mais nova, o irmão adotivo, a mãe dona de casa e o padrasto eletricista criavam. Mesmo sem dinheiro, não faltou diversão.

Não tardou para a felicidade cessar. Aos 14 anos, perdeu uma irmã, vítima de meningite. Viu sua família se fragmentar: sua mãe entrou em depressão e passou dias a fio em silêncio na cama.

Com tantos problemas dentro de casa, foi com a Plan International Brasil que Alice Juliana encontrou o caminho para reconstruir sua vida. Participou dos projetos Adolescente Saudável, Aprender sem Medo e Plataforma Meninas no Poder. Neles, teve as discussões que faltavam dentro de seu ambiente familiar. Aprendeu sobre seu próprio corpo, entendeu seus direitos e deveres como menina, se desenvolveu para falar em público, se tornou uma liderança local. “A Plan me ajudou a entender o meu papel no mundo”, reconhece.

Às vésperas de prestar vestibular para a sonhada faculdade, engravidou. Uma confusão tomou conta de sua mente, que se viu diante de um futuro diferente do planejado. Decidiu que iria levar a gravidez adiante, mas não iria se casar, contrariando o destino da maioria das meninas de sua cidade; da família, do namorado e da equipe da Plan, teve o apoio para enfrentar essa nova fase. Teria sua filha Juliane e continuaria seguindo seus sonhos.

 

Está dando certo. Alice Juliana passou no vestibular para Ciências Naturais (Biologia) na Universidade Federal do Maranhão, uma das mais respeitadas da região. Da mãe, tem a ajuda para criar a menina. Trabalha para pagar os materiais escolares e sustentar a família, faz faculdade à noite. Está no último ano e sonha ser professora.

No início de 2018, foi aprovada para ser Educadora Social da Plan International Brasil, em Codó (MA). Hoje, compartilha o conhecimento que aprendeu nos projetos pelos quais passou e faz com que outras meninas e meninos tenham os instrumentos para reconstruírem a vida, superando os obstáculo com os quais se depararem.